Contracepção Contínua: aqueles dias estão com os dias contados.

A TPM é causada pelas flutuações hormonais que ocorrem por causa do ciclo menstrual. Ou seja: cuidando das flutuações, você controla melhor os sintomas da TPM. Por isso foi desenvolvida a Contracepção Contínua.

 

Contracepção Contínua. Vamos traduzir.

É simples. Contracepção é o ato de evitar a gravidez. Assim, Contracepção Contínua é o método anticoncepcional em que você não interrompe o uso de hormônios, seja qual for a opção: pílula combinada, pílula de progesterona, injeção de progesterona, implante subdérmico ou DIU hormonal.

Com a pílula anticoncepcional combinada, você toma o medicamento por 21 ou 24 dias e faz aquela pausa de 4 dias ou de uma semana. Certo?

Com as pílulas de Contracepção Contínua, você não para de tomar. Resultado: menos flutuação hormonal, redução ou até eliminação da menstruação e um controle muito mais eficaz sobre os sintomas chatíssimos da TPM.

 

Boas notícias.

Todos os estudos médicos comprovam: as pílulas de Contracepção Contínua são eficazes e seguras para o tratamento dos sintomas da TPM. E de doenças sérias como endometriose, anemia e mioma.

 

As boas notícias continuam.

As pílulas de uso contínuo são aprovadas pela ANVISA, agência que regulamenta, fiscaliza e monitora todos os medicamentos à venda no país. Assim, além de evitar gravidez, controlar a TPM e eliminar o desconforto “daqueles dias” da sua vida, elas combatem o perigo da improvisação: a emenda de cartelas de anticoncepcionais convencionais.

 

Pergunta: qual o melhor método contraceptivo?

Resposta: conversar com seu médico. Esse não falha. Ele sabe o que é mais adequado para você. Fale sempre com seu médico.