Reduza o estresse diário

Muitas vezes nem percebemos, mas práticas e comportamentos cotidianos colaboram para nos manter constantemente estressados. Saiba identifica-los

O estresse nosso de cada dia é praticamente inevitável. Horários apertados, exigências profissionais cada vez maiores, preocupações financeiras e ainda equilibrar tudo isso com a vida afetiva/familiar. Não é nada fácil! O corpo e a mente logo começam a padecer, e os sintomas vão desde dores de cabeça e musculares até insônia e ansiedade.

Isso acontece porque, quando passamos por situação de estresse, o nosso organismo libera hormônios que provocam reações como a alteração da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos, contração de músculos e a manutenção do estado de alerta. Os principais hormônios responsáveis por estas transformações são o cortisol e a adrenalina. Eles são aliados em muitos momentos. Afinal, precisamos ficar em alerta em situações de perigo, ou mesmo mais atentos e concentrados antes de fazer ou apresentar um trabalho. O problema ocorre quando eles ficam constantemente em ação.

O primeiro passo para tentar domar seu estresse é identificar as principais causas deste estado indesejável. Você pode até adotar uma alimentação leve e saudável, praticar exercícios físicos e ir para a cama no horário ideal. Se as reais causas do estresse não forem identificadas, será difícil conseguir domá-lo.

Pensamentos negativos ou exageradamente preocupados (“vou ser demitido” / “meu filho vai se machucar”) são desencadeadores silenciosos do estresse. Quando você tem estes pensamentos, seu cérebro identifica situações de perigo e obrigam ser organismo a ficar em alerta.

Pessoas e atividades também podem colaborar para nos deixar estressados. Reflita sobre isso e tente identificar o problema. Um conhecido irritante, um familiar muito dependente ou um chefe abusivo? Um trabalho pouco satisfatório ou que te exija ficar um longo período no trânsito ou no transporte público?

Obrigações desnecessárias também costumam ser geradoras de estresse. Elas podem ser evitadas ou adiadas sem qualquer prejuízo para sua vida, mas ainda assim mantêm você ansiosa e culpada se não forem atendidas imediatamente. É o caso de participação em redes sociais e compromissos que só servem para lotar sua agenda e trazer ansiedade.

Pense agora na sua própria organização. Se ela não estiver em dia, eis aí uma grande fonte de estresse. Papeis espalhados, contas perdidas, falta de agenda e de pelo menos uma dose mínima de disciplina contribuem bastante para o estresse não ir embora. Você pode até aparentar calma e tranquilidade, mas por dentro fica ansiosa e aflita por estar com algo atrasado, perdido ou adiado.

Por falar em adiar, eis outro grande aliado do estresse. Pare de procrastinar! Empurrar as coisas com a barriga, o famoso “deixar para amanhã”, é como empurrar uma bola de neve. Ela só vai crescendo e acumulando mais e mais problemas, abrindo a porta para o estresse.

Existe ainda o outro lado da mesma moeda. Pessoas extremamente organizadas, exigentes e – principalmente – controladoras são grandes vítimas do estresse. Afinal, é impossível ter tudo sob controle o tempo todo. Muito menos as outras pessoas. Entenda que muitas coisas fluem normalmente, e que cada indivíduo pode ter seu próprio ritmo e maneira de fazer as coisas. Aceitar este fato é fundamental para exercer o seu direito a ter uma vida menos estressante.

Procure anotar tudo isso, o que vai facilitar a identificação dos problemas. Ao identifica-los, perceba como é recompensador adotar uma nova postura e modificar o “modus operandi”. Esta transformação deve vir de dentro para fora, só assim ela passará a ser “automática”.

Aliado a tudo isso, adote práticas recompensadoras. Cumprimente e se despeça das pessoas, seja grato por suas conquistas e procure ajudar ao próximo –seja por meio de alguma atividade direta ou pela participação de alguma ação beneficente. Está comprovado que esta postura colabora para a liberação de hormônios e neurotransmissores “do prazer”, exatamente os opostos ao estresse.

Ah! E lembra dos hábitos saudáveis! Agora sim, mergulhe fundo neles: se alimente bem, durma de sete a oito horas toda noite, pratique exercícios, pratique meditação e reserve sua agenda para diversões prazerosas. Vamos tentar?