Defenda-se das mudanças bruscas de temperatura

defenda-se das mudanças bruscas de temperatura

Em dias em que a amplitude térmica é de 15 graus em 24 horas, as internações hospitalares por asma aumentam 95%.

A mudança brusca de temperatura que ocorre em função de fenômenos climáticos como El Niño e La Niña (saiba mais aqui) preocupa os médicos por trazer uma série de complicações à saúde.

Segundo os médicos de diversas especialidades, as infecções respiratórias são facilitadas nessas condições e todo o sistema cardiovascular é comprometido, ampliando o risco de infartos e acidente vascular cerebral (AVC).

Quando os termômetros apresentam variação tão repentina na temperatura, uma das primeiras sequelas no organismo se dá no nariz. Os cílios nasais – pequenos fios responsáveis por fazer o filtro das substâncias tóxicas que entram no corpo – ficam com dificuldade de movimentação.

A imobilidade na parte corpórea que realiza a “faxina” de vírus e bactérias antes da passagem dos mesmos por garganta, faringe, laringe e pulmões, contribui com o acúmulo de germes nessas regiões, transformando-se em uma esponja de doenças respiratórias de todo tipo, como gripes, pneumonias, sinusites, asma e alergia.

Para fazer a hidratação e a higienização nasal, é indicado o uso dos chamados hipertônicos nasais, que são feitos de soro fisiológico com uma concentração maior de cloreto de sódio (sal). É bom lembrar que esses produtos não causa dependência, pois são apenas soro fisiológico e podem ser usados sempre que sentir que as narinas estiverem entupidas, ressecadas ou com alguma sujeirinha.

Em grupos da população mais vulneráveis a estas contaminações (idosos e crianças menores de cinco anos têm o sistema imunológico menos eficiente) a maior probabilidade de adoecimento respiratório traz também mais problemas cardíacos. Isso porque, para tentar vencer a contaminação, o corpo reage produzindo substâncias de defesa, que são inflamatórias e prejudicam o movimento do coração. O resultado é uma chance maior de infarto, paradas cardíacas e AVC, principalmente para quem já convive com os conhecidos vilões da saúde: diabetes, hipertensão, obesidade e colesterol alto.

Apesar de serem as áreas do corpo mais afetadas, o sistema respiratório e cardíaco não são os únicos comprometidos pelas mudanças na temperatura. As pesquisas já identificaram que o acúmulo de poluição também acarreta mais apendicite, compromete a fertilidade e afeta o sistema psíquico, aumentando os casos de depressão.

Dicas para proteger o organismo do frio

– Mesmo com vento frio, é importante manter os ambientes arejados. Se possível, umidificá-los com o auxílio de vaporizadores ou recipientes com água;

– Para evitar a desidratação, é aconselhável consumir bastante líquido e evitar a realização de exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 16h, horário em que o ar está mais seco e poluído;

– Em casa, carpetes e cortinas que acumulam poeira devem ser lavados e aspirados com frequência. Atenção para cantos dos cômodos que podem acumular sujeira, como embaixo e atrás de moveís.

– As vestimentas usadas neste período também merecem um cuidado especial: por ficarem fechadas dentro do armário por muito tempo, as roupas de inverno, como malhas e casacos, devem ser expostos ao sol antes de usá-las, evitando o mofo, além do odor desagradável;

– Ao sair de casa, não deixe de levar um cachecol e um casado capaz de oferecer boa proteção contra temperaturas mais baixas, quando mais mantiver seu corpo aquecido, melhor para sua saúde.

Cuidando-se assim, você vai curtir esses climinha frio e instável da melhor forma possível!